home_pretratoYasmin Jamil Nadaf é cuiabana, nascida em 22 de maio de 1961. Segunda filha de Layla e Jamil Nadaf, tendo como irmãos Samia e Pedro.

Licenciada em Letras, pela UFMT, Especialista em Literatura Brasileira, pela UFPR, e Mestre e Doutora em Literaturas de Língua Portuguesa, pela Unesp, com Pós-doutorado em Literatura Comparada, pela UFRJ.

Há três décadas pesquisa a escrita literária de sua terra, divulgando-a através de palestras, teses, e ensaios publicados em revistas especializadas e jornais do país. Seus livros, Sob o signo de uma flor. Estudo de A Violeta, publicação do Grêmio Literário Júlia Lopes - 1916 a 1950 (1993), Rodapé das miscelâneas. O folhetim nos jornais de Mato Grosso - séculos XIX e XX (2002), Diálogo da escrita. Alagoanos na imprensa de Mato Grosso (2003), Presença de mulher: ensaios (2004), Machado de Assis em Mato Grosso. Textos críticos da primeira metade do século XX (2006), Estudos literários em livros, jornais e revistas (2009), e Páginas do passado. Ensaios de literatura (2014) são referências no Brasil e no estrangeiro.

 


 

Exposições

 

Veja aqui exposições com acervos de Yasmin Nadaf:

 


 

Informes - 2016

 


Neste ano de 2016, que se encerra, deixamos as seguintes reflexões aos nossos leitores:


 

                                                                     I  

Tenho um Aferidor de Encantamentos./A uma açucena encostada no rosto de uma criança/O meu Aferidor deu nota dez./Ao nomezinho de Deus no bico de um sabiá/O Aferidor deu nota dez./A uma fuga de Bach que vi nos olhos de uma criatura/O Aferidor deu nota vinte./Mas a um homem sozinho no fim de uma estrada/sentado nas pedras de suas próprias ruínas/O meu Aferidor deu DESENCANTO./(O mundo é sortido, Senhor, como dizia meu pai.)  (Manoel de Barros)

                                            

                                                II


Quando um pássaro está vivo ele come formigas... Mas quando o pássaro morre as formigas comem o pássaro. As horas e as circunstâncias podem mudar a qualquer momento, por isso não desvalorize ninguém na sua vida. Pode ser poderoso hoje, mas lembre-se que o tempo é ainda mais poderoso. Uma árvore faz um milhão de fósforos, mas apenas um fósforo pode queimar milhões de árvores... (Clarice Lispector)


III

Aprendi que o tempo cura, que mágoa passa, que decepção não mata, que hoje é reflexo de ontem, que os verdadeiros amigos permanecem e que os falsos, graças a Deus, vão embora. Compreendi que as palavras tem força, que o olhar não mente e que viver é aprender com os erros. Aprendi que tudo depende da vontade, que o melhor é ser nós mesmos e que o segredo da vida, é viver!

 


                                                                 


FELIZ NATAL A TODOS E TODAS QUE NOS  PRESTIGIAM COM A SUA VISITA EM NOSSO SITE, 

E UM 2017 PLENO DE LUZ 

 

 
curriculum_lattes

Vídeos

videos

Livros Publicados

Jornais

O escritor é um aprendiz. Ele traz em seu ofício diálogos múltiplos (...).

Desde os 15 anos faço críticas literárias. Sou uma leitora de berço. As duas ações – ler e escrever – estão fortemente entrelaçadas. Já nasci com esse olhar. Com uma inquietude particular. Um desejo de me posicionar criticamente frente à realidade que enxergo. Acredito na literatura como objeto de transformação. De aparar diferenças, sejam mínimas ou não, na sociedade. (Yasmin Nadaf)

Construir um acervo bibliográfico não é somente uma demonstração de amor pelos livros e outras fontes escritas, mas também a expressão do exercício diário da cidadania. Ao armazenar a escrita estamos estimulando o processo da leitura, ofertando o entretenimento, disseminando a memória, e preservando o patrimônio cultural de uma região ou de uma nação. (Yasmin Nadaf)

LIVRO É VIDA

(Yasmin Nadaf)